Financiando o futuro das cadeias produtivas

Financiando o futuro das cadeias produtivas

O SCF – Supply Chain Finance consiste em uma iniciativa de gestão com o objetivo de integrar grandes cadeias produtivas e sua rede de fornecedores sob a ótica financeira, no intuito principalmente de viabilizar projetos, reduzir custos de operação, e aumentar a disponibilidade de capital nas cadeias produtivas.

Grande parte das empresas quando pensam em supply chain finance, focam suas iniciativas em questões internas, sendo predominante a busca pelo prolongamento das condições de pagamentos aos fornecedores. Porém, esta visão um tanto quanto parcial pode impossibilitar a oportunidade de reduzir os riscos ligados a cadeia de suprimentos, bem como impedir a identificação de novas oportunidades de negócios entre os elos da cadeia.

Neste contexto, percebemos um crescimento no Brasil do número de  programas de financiamento de fornecedores para injetar capital em quase todos os principais marcos do ciclo de vida de supply chain. Isso permite que os compradores e fornecedores tenham o capital necessário para realizar os compromissos assumidos.

Relacionamos abaixo os principais pontos de destaque das empresas que estão buscando ampliar as suas práticas de SCF se comparadas as que estão apenas buscando alongar o prazo médio de pagamento.

Relação Comprador X Fornecedor

Buscando melhorar seu ciclo de caixa, muitas empresas tentam estender ao máximo o prazo médio de de pagamento aos seus fornecedores. Esta prática pode ser prejudicial na relação entre comprador e fornecedor. Ter um fluxo de caixa baixo, tanto para os fornecedores quanto aos compradores, prejudica bastante a cadeia. Uma forma de tentar equilibrar a necessidade de capital de giro por parte dos fornecedores e ao mesmo tempo aumentar o PMP por parte dos compradores, é se conectar a instituições financeiras, negociando melhores condições de taxa de juros.

Os pagamentos podem se tornar um investimento

A busca por preços baixos e mais dias para pagamento são desfavoráveis para a saúde dos fornecedores. Resultado disso é a instabilidade que gera em toda a cadeia, pois os fornecedores precisam de dinheiro rápido para cobrir seus custos de capital e nem todos os compradores tem caixa suficiente para realizar operações de antecipação.

Uma ótima opção para grandes compradores é criar programas de antecipação de recebíveis para seus próprios fornecedores, de forma integrada com possíveis financiadores. Assim, todos saem ganhando:

  • Os fornecedores obtêm capital de forma rápida a custos competitivos;
  • Os compradores não precisam usar seu próprio capital para fazer antecipações e consequentemente conseguem alongar o prazo médio de pagamento aos fornecedores;
  • Os financiadores reduzem o risco de fraudes, e melhoram o retorno sobre o capital antecipado.  

Melhores métricas para custos de financiamento

Normalmente, os bancos usam avaliações de crédito para estabelecer a taxa de juros dos financiamentos aos fornecedores.  Mas esta prática pode inviabilizar operações com fornecedores menores, que são confiáveis mas não possuem históricos de crédito. O uso de programas modernos de Supply Chain Finance podem ser uma solução bastante interessante para esses casos.

Programas assim conseguem registrar o histórico de transações entre os compradores e fornecedores, o que acaba por melhorar o rating das pequenas empresas, oferecendo assim às instituições financeiras informações relevantes para definição de taxas de juros mais justas e consequentemente com menor custo principalmente para as PMEs.

As cadeias de suprimentos saudáveis precisam de financiamento de precisão

Quando os fornecedores passam por problemas, sendo mínimos ou não, é sempre perturbador para os compradores. Ordens não cumpridas ou atrasadas, produção apressada ou transporte caro para cumprir prazos, afetam a competitividade de todos os envolvidos. As cadeias de suprimentos são mais saudáveis ​​quando o capital está fluindo bem.

“Cuidar” da cadeia produtiva como um todo é um fator crítico de sucesso para grandes empresas âncoras. Estar atento à inovações e às tecnologias é o meio para buscar novas formas de evoluir nas relações com a sua rede de fornecedores.

Se comparado com os EUA, ainda estamos engatinhando quanto às melhores práticas de SCF, como pode ser visto neste post, mas já percebemos uma evolução significativa no tema.

Para maiores informações, veja aqui um infográfico gerado pela GT NEXUS sobre o assunto.

 

Sobre o autor Ver todos os artigos Site do autor

Manuela Soares